Após mobilização, que resultou em liminar favorável, trabalhador retorna à agência

O bancário Heliton Clemente foi reintegrado à agência do Banco Itaú em Juiz de Fora, no dia 14 de dezembro. Heliton foi demitido mesmo tendo estabilidade.

Após tentativa de negociação com o banco, a diretoria do SINTRAF JF judicializou a questão e mobilizou a categoria em ato que manteve a agência fechada por um dia.(Clique aqui e confira a matéria sobre o ato do dia 27 de novembro – http://www.bancariosjf.com.br/imprensa/noticias-do-sintraf/sintraf-jf-realiza-ato-contra-demissoes-no-itau)

A atuação do sindicato teve grande repercussão e tão logo a 1ª Vara do Trabalho de Juiz de Fora concedeu uma liminar que declara nula a demissão. Nesta quinta-feira o bancário foi reintegrado e volta a ocupar o quadro de funcionários da agência.

Heliton Clemente é bancário há 24 anos e desde 2010 trabalha no Itaú. Em entrevista à jornalista do Sindicato, o bancário disse ter a sensação de justiça e vitória. “Fiquei muito satisfeito com essa conquista, fui bem acolhido pelos meus colegas de trabalho e tive a certeza da importância da atuação do sindicato, que mais uma vez se mostrou forte.”. O bancário destaca que rapidez e competência da advogada, Drª Cláudia Vieira Campos. Além disso, ele frisou a mobilização que o SINTRAF JF organizou e que denunciou não só a sua demissão injusta, mas práticas abusivas.

A advogada credenciada ao SINTRAF JF e responsável pelo processo, Drª Cláudia Vieira Campos, informou que o banco “desconsiderou a estabilidade do trabalhador e alegou baixo desempenho para a demissão.”. Drª Claúdia diz que é lamentável, mas que casos como o de Heliton são muito comuns entre as práticas dos bancos.

Ela acrescenta que “a tutela de urgência garante o retorno do empregado aos quadros da agência, mas nós acompanhamos o processo até a decisão final do Juiz.”. Além disso, a advogada alerta a categoria para que em casos como este, o bancário rejeite a demissão e procure o sindicato a fim de buscar orientação jurídica e conseguir a tutela de urgência.

Outros casos como este ocorreram este ano e em diversos bancos. Em caso de dúvidas ligue para o Sindicato (32) 3215-2249 e converse com a Diretoria de Assuntos Jurídicos.

Fonte: SINTRAF-JF