Com uma atuação claudicante e incêndios em série com foco sempre no Palácio do Planalto, o governo do tenente expulso do Exército começa a fazer água logo em seu segundo mês de vigência efetiva, considerando que o presidente eleito permaneceu inexplicados 17 dias internado num hospital de alto custo para realizar um procedimento que normalmente dura dois ou três dias.

Mas questões de saúde à parte, o que fica patente neste momento é que o Governo carece de rumo e de carisma para conquistar o apoio necessário para uma reforma que estorque de forma brutal o futuro d@s brasileir@s. Somente a surrada tática do toma-lá/dá-cá não parece ser suficiente para angariar o apoio necessário para emplacar as mudanças vampirescas que o Sistema Financeiro quer impor ao Governo como forma de continuar garantindo apoio às pretensões do soldado frustrado e sua trupe.

Nota-se, a cada escândalo que vem à tona, um desconforto cada vez maior entre aquel@s que antes apoiavam efusivamente a figura do presidente supostamente esfaqueado. Hoje, pode-se perceber um certo constrangimento silencioso ante tantas trapalhadas e notícias desabonadoras em relação a essa liderança de papel que foi alçada, através de uma campanha de difamação e ódio, ao posto maior do Poder Executivo nacional. 

A bomba desta terça-feira parece ter alto potencial destrutivo. A ligação entre o primeiro clã e a bandidagem carioca está cada vez mais clara. Aguardemos qual papel cumprirâo os veículos tradicionais de mídia: algozes ou cordeiros. Considerando que a imprensa aja  de forma séria, é possível especular que podem restar poucas horas para uma mudança substancial na direção do país, seja de nomes, seja de rumos. 

Aguardemos as novas tentativas de explicar o inexplicável e de pintar como santo alguém que está vinculado ao que há de pior na sociedade brasileira. Ao final, como profetizou o grande Luís Inácio: “A verdade vencerá”.

#LULALIVRE!!!!!
#MARIELLEVIVE!!!!

Por Helberth Ávila