Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/fetrafim/domains/fetrafimg.org.br/public_html/wp-content/plugins/types/vendor/toolset/types/embedded/includes/wpml.php on line 646

Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/fetrafim/domains/fetrafimg.org.br/public_html/wp-content/plugins/types/vendor/toolset/types/embedded/includes/wpml.php on line 663
Bancário do BB é agredido com golpes de capacete em Uberaba | FETRAFI MG
Um bancário que trabalha na agência central do Banco do Brasil da cidade de Uberaba foi agredido com golpes de capacete na tarde desta terça (1º/02). Segundo relato do funcionário do BB, a agressão aconteceu quando um servidor da Companhia Operacional de Desenvolvimento, Saneamento e Ações Urbanas (Codau) tentava desbloquear o cartão do banco. Com a demora no processo de liberação do cartão por conta de uma queda no sistema da instituição financeira o servidor tentou danificar móveis e utensílios da agência.

O bancário que executava atendimento na linha de frente da agência – na sala dos caixas eletrônicos – tentou dialogar com ele, mas acabou recebendo golpes de capacete.

A diretoria do Sindicato condenou a agressão e manifestou total solidariedade ao bancário. Para o sindicato, o banco falhou em não aumentar o número de vigilantes nas agências durante o pagamento de salários dos servidores públicos.

Desde que o Banco do Brasil assumiu as contas da Prefeitura, o sindicato tem colhido relatos de formação considerável de filas, falha no sistema da instituição e exaltação dos clientes. Na semana passada, a Superintendência Regional do Banco já havia sido cobrada pelo sindicato para melhorar as condições de trabalho e segurança nas agências.

Mas ao invés de fortalecer os vigilantes nas agências, o banco teria solicitado apoio da Polícia Militar e Guarda Municipal, que até onde se sabe, não compareceram. E após a agressão, mesmo se comprometendo com o Sindicato, a Superintendência não acionou por sua conta o reforço da vigilância nas agências, apenas concedeu liberdade aos gerentes das unidades para solicitarem (ou não) mais vigilantes.

Para o Sindicato, é inadmissível uma agressão como esta e que o banco tem de resolver a situação sem ficar “passando a bola para subordinados”, empurrando para frente a solução do problema.

 

Fonte: Bancários de Uberaba