Em Assembleia Geral Extraordinária realizada nesta quarta-feira, 8, no Sindicato de Belo Horizonte e região, as propostas apresentadas pela Fenaban, pela CAIXA e pelo Banco do Brasil, para as reivindicações da Campanha Nacional 2018, foram rejeitadas por unanimidade.

Ações de mobilização foram aprovadas pela categoria. Na sexta-feira, 10 de agosto, Dia do Basta, os trabalhadores abrirão algumas agências da região central da capital uma hora mais tarde.

E serão realizados vários atos, às 10h, em frente à Agência Século da CAIXA, na rua dos Carijós, 218, em frente à agência Tupinambás da CAIXA e do Banco Itaú, na Praça 7. E, às 11h, diversas categorias e movimentos sociais se concentrarão na praça Afonso Arinos, para pedir um basta à crise, ao desemprego, à miséria, à retirada de direitos e às ameaças de desmonte e privatização.

A Assembleia aprovou também um estado de greve dos bancários de BH e região.


Propostas

A Fenaban apresentou, nesta terça-feira, 7, poucas respostas às demandas da categoria, com propostas que apenas repõem a inflação nos salários e outras verbas econômicas. Além disso, não deram garantias em relação às novas formas de contratação previstas na reforma trabalhista.

As propostas específicas apresentadas pela CAIXA e pelo BB também foram consideradas insuficientes pela categoria.

O Comando Nacional dos Bancários indicou a rejeição nas assembleias de todo o Brasil. Nas assembleias dos sindicatos filiados à FETRAFI todos rejeitaram a proposta.

Foto: Alessandro Carvalho