Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/fetrafim/domains/fetrafimg.org.br/public_html/wp-content/plugins/types/vendor/toolset/types/embedded/includes/wpml.php on line 646

Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/fetrafim/domains/fetrafimg.org.br/public_html/wp-content/plugins/types/vendor/toolset/types/embedded/includes/wpml.php on line 663
Bancários de Uberaba denunciam casos de assédio moral no Banco do Brasil | FETRAFI MG

Empregados do Banco Brasil e representantes do Sindicato dos Bancários de Uberaba realizaram, na última sexta-feira (13), um protesto na porta da agencia Estilo, localizada na avenida Santos Dumont, para denunciar recorrentes atos de assédio moral praticados pelo gerente-geral unidade.

 

Com cartazes, os bancários apontaram que o local de trabalho tem sido uma “porta do inferno”, diante das situações que os trabalhadores estão submetidos na relação profissional. Eles denunciam que dentro da unidade tem havido a prática de uma gestão pelo estresse, que inclui cobranças contínuas e abusivas de metas, distrato e ofensas aos funcionários subalternos.

 

Segundo o presidente do Sindicato dos Bancários, Diego Bunazar, desde dezembro de 2019 a entidade tem recebido denúncias de empregados do banco relatando os constantes assédios e constrangimentos públicos. O dirigente sindical relata que a entidade realizou diversas reuniões com gerente-geral da agência com o objetivo de solucionar o problema. Entretanto, como as conversas parecem não ter surtido efeito.

 

“Infelizmente percebemos que apenas o diálogo não iria resolver a situação. Ele tem um histórico de comportamento de gritar e se exaltar com os funcionários, inclusive na frente de clientes”, afirma Diego.

 

Ainda segundo o sindicato, a gerência da agência tem promovido avaliações injustas de desempenho dos funcionários e motivou inclusive a perda de função dos bancários. No último dia 6 de março, o gerente-geral anunciou o descomissionamento de uma gerente de relacionamento. Para o sindicato a atitude foi um ato de perseguição. “Estamos estudando, junto com dirigentes da Fetrafi-MG, medidas judiciais para assegurar os direitos dessa funcionária – que apresenta bons resultados, o que não justifica as avaliações negativas recebidas”, explica.

 

Da redação da Fetrafi-MG, Mariana Viel

Foto: Jairo Chagas/ JM Online