O senador Jaques Wagner (PT/BA) e o professor e economista Luiz Gonzaga Belluzzo são os convidados de terça-feira (13), primeiro dia do seminário online “O Bom do BB é construir o Brasil com você – Banco do Brasil, de parabéns há 212 anos”, que abre a campanha em defesa do Banco do Brasil, encabeçada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), sindicatos e federações de bancários. A atividade será transmitida ao vivo, a partir das 19h, pela página da Contraf-CUT no Facebook e no Youtube.

A atividade, que segue continua na quarta-feira (14) faz parte da campanha “O bom do BB é…”, que visa mostrar a importância do Banco do Brasil e denunciar os ataques que o mesmo vem sofrendo, com o objetivo de privatizá-lo.

“Abriremos a campanha com as contribuições do Belluzzo e do Jaques Wagner, para destacarmos a importância do Banco do Brasil enquanto instituição pública, com papel fundamental para a inclusão social, para o atendimento bancário da população e para o desenvolvimento econômico do país”, explicou o secretária da Juventude e representante da Contraf-CUT na Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), Fernanda Lopes, que é funcionária do banco.

O Banco do Brasil é o primeiro banco do país. Completa 212 anos na segunda-feira (12). E sua história se mistura com o desenvolvimento nacional, com a criação da Petrobras, da Vale (do Rio do Doce), enfim, com o processo de industrialização e de desenvolvimento regional, da educação, e das políticas públicas de cunho socioeconômico. “O BB foi fundamental para o crescimento do país e precisa exercer seu importante papel para que a gente consiga superar o difícil momento que estamos vivendo”, disse o coordenador da CEBB, João Fukunaga.

Segundo dia

No segundo dia do seminário (quarta-feira, 14), no mesmo horário, as reflexões caberão à deputada federal Érika Kokay (PT/DF), ao advogado Maximiliano Garcez e ao ex-diretor do Fundo de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), Paulo Assunção, que contribuirão com as reflexões em torno da “denúncia e atuação contra a agenda de desmonte e privatização do BB”.

A campanha

A campanha será lançada na terça-feira (13), no primeiro dia do Seminário “O Bom do BB é construir o Brasil, com você – Banco do Brasil, há 212 anos de parabéns”, que será transmitido ao vivo (live) pelas redes sociais (Facebook e Youtube) da Contraf-CUT e retransmitido por outras entidades que fazem parte da campanha.

“Até sexta-feira (16) a campanha se desenvolverá de forma mais intensa e após isso as entidades sindicais e associações de funcionários darão continuidade às ações, sob orientação e coordenação da Contraf-CUT, por meio da CEBB. Nossa intenção é buscar a interação e o apoio de personalidades de nossa sociedade, seja no meio político, seja artístico e social”, explicou o presidente do Sindicato dos Bancários de Brasília e Região, Kleytton Morais, que é funcionário do Banco do Brasil e faz parte da equipe de coordenação da campanha.

Kleytton disse, ainda, que após a primeira semana, a campanha se ampliará e ganhará caráter de defesa permanente do Banco do Brasil e de sua importância para as micros e pequenas empresas, para a agropecuária, para a educação, enfim para o desenvolvimento do país, principalmente nas regiões para as quais os bancos privados não dão tanta importância.

Cronograma de atividades

12/10 – Aniversário de 212 anos do banco (contatos com a imprensa e divulgação de vídeos de personalidades em defesa do BB)

13 e 14/10 – Seminário online “O Bom do BB é construir o Brasil com você – Banco do Brasil, de parabéns há 212 anos”

13/10, às 19h – Banco do Brasil, há 212 anos um instrumento de
inclusão, desenvolvimento econômico e soberania nacional, com Luiz
Gonzaga Belluzzo e Jaques Wagner

14/10, às 19h – Denúncia e atuação contra a agenda de desmonte e
privatização do Governo Bolsonaro contra o BB, com deputada federal
Érika Kokay (PT/DF), Maximiliano Garcez e Paulo Assunção

15/10, às 11h – Tuitaço em defesa do banco

16/10, às 19h – Show-live com Zélia Duncan

A partir de 17/10, disseminar a campanha nas bases e articular apoio social

 

Fonte: Contraf-CUT