Trabalhadores e trabalhadoras do metrô de BH decidiram, em assembleia na última sexta (26/08), manter a greve que tem como principal reivindicação a não privatização do metrô de Belo Horizonte.

A categoria alerta que, se efetivada, a entrega do metrô à iniciativa privada, defendida pelo governo Federal e Estadual, em bases nada transparentes, e aprovada pelo Tribunal de Contas da União (24/08), pode implicar na demissão em massa (há 1.600 trabalhadores concursados na CBTU). A privatização também deve levar à precarização do sistema metroviário, ao aumento da tarifa, penalizando os usuários e, o que também é muito grave, deve gerar grande prejuízo para o Estado.

Apesar do governo federal alegar que não tem recursos para a expansão e modernização do metrô, onde houve privatização, como no Rio de Janeiro, a atualização do sistema consome recursos vultuosos do Governo do Estado, e as grandes obras continuam sendo pagas por recursos públicos, mesmo após a concessão.

Considerando as demissões, os prejuízos para o Estado, usuários e trabalhador@s, fica a pergunta: A quem interessa a privatização do metrô de BH, decidida sem consultar a população?

Por todos esses motivos, estamos ao lado dos metroviari@s, em defesa do metrô, do transporte público e por respeito aos trabalhador@s e usuári@s desse serviço essencial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *