As transformações do sistema financeiro foram debatidas na Conferência sobre a Reestruturação do Setor Bancário, organizada pela UNI Finanças Mundial, em Dublin, Irlanda, na última semana (13/09 e 14/09). O evento, que reuniu representantes do mundo inteiro, teve como destaque a pesquisa do economista Raymond Torres. O estudo aborda o papel das crises na situação social dos países e o ritmo de recuperação.

A Conferência abordou também o processo de digitalização nos bancos. Para a presidenta da UNI Finanças Mundial e secretária de Relações Internacionais da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Rita Berlofa, que participou do evento, os processos de desligamento de bancários são piores em países sul-americanos. “Este debate mostrou que o impacto da digitalização no setor bancário traz consequências graves à categoria bancária, como demissões e fechamento de agências”, afirmou.

Outros pontos debatidos na Conferência foram as perspectivas geopolíticas para o setor, com a expansão de mercados, como o chinês, e a função dos bancos, em especial dos públicos, no combate à pobreza, desigualdade social e mudanças climáticas. “Torres chamou a atenção para a necessidade de o setor financeiro investir na redução das desigualdades, porque os fatos apontam para o encarecimento da comida e a diminuição de postos de trabalho, o que tende a aumentar a pobreza no mundo”, disse Berlofa.

Fonte: Contraf/CUT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *