Será lançada nesta terça-feira (3), no Rio de Janeiro, a campanha nacional “Defenda a Caixa você também”.

A Presidenta da Fetrafi-MG/CUT, Magaly Fagundes, estará presente.

A campanha em defesa da CAIXA 100% Brasil e 100% pública, hoje ameaçada por políticas de desmonte do patrimônio público, é uma iniciativa da Fenae, em parceria com sindicatos, Apcefs, Contraf, CUT, CTB, Intersindical e Conlutas.

E conta com o apoio de trabalhadores e representantes de entidades de várias categorias do país.

A ideia da campanha é mostrar como a CAIXA é essencial em áreas como habitação, saneamento, infraestrutura, educação, esporte, cultura, agricultura. Enfim, para a vida dos trabalhadores e brasileiros em geral.

A concentração será às 11h, em frente ao prédio Almirante Barroso, que abriga a maior agência bancária da América Latina. Em seguida, os manifestantes seguirão em caminhada por algumas ruas do centro do Rio, com paradas em pontos estratégicos como nas sedes do BNDES e da Petrobras.

A Campanha
A campanha “Defenda a Caixa você Também” tem como objetivo envolver toda a sociedade, buscando dialogar com os diferentes segmentos, construindo uma resistência em defesa do patrimônio público.

Não se pode permitir o retrocesso das medidas tomadas pelo governo Temer, pois a CAIXA é uma instituição vital para o Brasil, que há 156 anos está a serviço dos brasileiros.

Números mostram porque defender a CAIXA

A CAIXA é uma empresa pública fundamental para o desenvolvimento econômico e social do país.

Somente no primeiro semestre de 2017, a carteira imobiliária totalizou R$ 421,4 bilhões, com o banho ganhando 1,3 % de participação no mercado imobiliário, mantendo a liderança com 68,1%. Já as operações de saneamento e infraestrutura cresceram 5,3% no período, com a carteira atingindo os R$ 79,9 bilhões.

Entre janeiro e junho, foram pagos cerca de 78,5 milhões de benefícios sociais, num total de R$ 14,2 bilhões, sendo R$ 13,7 bilhões referentes ao Bolsa Família.

Em relação aos programas voltados ao trabalhador, a Caixa realizou 196 milhões de pagamentos, que totalizaram R$ 176,6 bilhões.

Também foram realizados 33,7 milhões de pagamentos de aposentadorias e pensões aos beneficiários do INSS, correspondendo a R$ 40,7 bilhões. Até junho, o banco possuía 84,1 milhões de correntistas e poupadores.

Fonte: Fetrafi-MG/CUT com informações de Fenae