A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) lançou, nesta quarta-feira (18), a Campanha Nacional de Combate à Discriminação nos Bancos, com o objetivo de valorizar os trabalhadores de todos os gêneros, raças e com deficiência.

A campanha enfatiza a importância de levar o debate sobre os valores humanos à sociedade como um todo, não apenas ao movimento sindical.

Idealizada pelo Coletivo de Gênero, Raça, Orientação Sexual e Trabalhadores e Trabalhadoras com Deficiência (CGROS), em parceria com a Secretaria de Comunicação da Contraf-CUT, a ideia da campanha foi criar uma marca que valorizasse, acima de tudo, a condição humana do indivíduo e do conjunto, dentro das tendências de comunicação mundial.

As dificuldades sentidas nas negociações, nos últimos meses, foi motivação para o lançamento da campanha.

As pessoas com deficiência representam um quarto da população brasileira. Cerca de 24 milhões de pessoas ainda passam por situações de constrangimento e discriminação no país. A pessoa com deficiência (PCD) pode ser mulher, negra e LGBT, o que significa que essa pessoa é triplamente discriminada.

A campanha também destaca o aumento das discriminações com as reformas, propostas pelo governo ilegítimo de Temer.

Com informações de Contraf-CUT