O Ministério da Saúde informou, no começo da tarde desta terça-feira, 6, a inclusão da categoria bancária entre as prioridades do Plano Nacional de Imunização (PNI) contra a Covid-19.

“É uma muito esperada pelos bancários e pelas bancárias que estão na linha de frente de atendimento à população. Essa é uma grande vitória do Comando Nacional dos Bancários, das Federações e dos Sindicatos que têm feito essa luta já há algum tempo. Nossa luta continua por vacina para todas e para todos”, afirmou a presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira em vídeo divulgado pela entidade.

De acordo com o Ministério, até o final da semana, o informe técnico que incluiu a categoria será formalizado com a inclusão dxs bancárixs e dxs trabalhadorxs dos Correios. O Ministério receberá as informações da distribuição da categoria pelos estados para encaminhar as doses de vacina para serem aplicadas nos postos e unidades de saúde de cada local, a partir da semana que vem.

Desde o final do ano passado, o Comando Nacional dos Bancários e a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) se mobilizam juntamente com as Federações e Sindicatos de todo o país para a inclusão da categoria entre as prioridades da vacinação.

“A categoria bancária cumpriu um papel muito importante e está na linha de frente do enfrentamento à Covid-19 desde o início da pandemia. Ao mesmo tempo também sofreu na pele os impactos devastadores do novo coronavírus. A média de desligamentos por morte na categoria saltou de 18,3 óbitos/mês no primeiro trimestre de 2020 para 50,6 óbitos/mês no primeiro trimestre de 2021, crescimento de 176,4%. A inclusão de todas as bancárias e todos os bancários na prioridade da vacinação é, acima de tudo, o reconhecimento do esforço e da importância da categoria”, ressaltou a presidenta da Fetrafi-MG, Magaly Fagundes.

Em março deste ano, as entidades enviaram ofício para o governo federal cobrando a inclusão e explicando que era grande o risco de contágio no ambiente de trabalho nas agências, tanto para os profissionais que lá trabalham como para a população que utiliza os serviços bancários.

Fonte: Contraf-CUT