O 2º Congresso Estadual da Fetrafi-MG/ CUT seguiu com a explanação de Fátima Lage, técnica do Dieese. Ela explicou que “a reforma da Previdência não é algo isolado, é uma proposta que vai além, não é só uma mudança de parâmetro, mas pressupõe um novo regime previdenciário, um contexto de desmonte, complexo e bastante desafiador”.

A técnica diz que “a PEC desconstitucionaliza tudo que tem hoje relativo aos benefícios e passa para uma lei complementar e, obviamente, isso é muito grave. Simultaneamente, constitucionaliza outras questões, regras e exigências quanto aos regimes próprios de estados e municípios. “Constitucionaliza deveres e desconstitucionaliza direitos”, enfatiza.

No vídeo abaixo Fátima Lages resume os prejuízos que a reforma da previdência, como está sendo apresentada, trará ao trabalhador:

Respeito à raça, aos gêneros e às escolhas

Almir Aguiar, Secretário de Combate ao Racismo da Contraf/CUT, abriu a tarde do segundo dia de Congresso falando de um tema muito relevante e pertinente nesse momento: a questão racial, das mulheres e dos LGBTs.

“Precisamos ampliar a conscientização e, para isso, o debate é fundamental. Os negros são 54% da polução do Brasil mas, apesar de serem maioria, são historicamente os mais discriminados”. Ele cita que antes da eleição, Bolsonaro já trazia temas preconceituosos e agora a sociedade foi tomada por uma onda de retrocesso, perdendo as políticas afirmativas do governo de Lula e Dilma.

“O discurso conservador da eleição agora virou prática conservadora no país. Há uma permissão para a violência em qualquer contestação e manifestação. E essa eliminação de direitos e ataque à constituição coloca em risco a democracia e a estabilidade do país, destaca”.

O Secretário falou também sobre o 3º censo dos trabalhadores negros bancários e a importância de se ter mais negros e negras nos bancos. E finalizou com “Ninguém solta a mão de ninguém, vamos juntos, lutar por uma sociedade mais justa. Lula livre!”

No vídeo, Almir Aguiar resume a luta:

Organização e Estrutura Sindical

Os advogados Maximiliano Nagl Garcez (Advogado Garcez) e José Eymard Loguercio (Advogado LBS) falaram sobre a Organização e Estrutura Sindical no contexto Político, Econômico, Jurídico e Social.

Maximiliano destacou que é preciso manter a cabeça erguida e disse que o ódio ao PT é menos pelos erros e mais pelos acertos. “Eu tenho plena confiança na recuperação da esquerda, mesmo com a gravidade dessa situação. Não vai ser esse bando de loucos que está no governo que vai impedir o avanço”, afirma.

No vídeo abaixo ele fala sobre alternativas:

Eymard fez um resgate histórico. “Para entendermos o momento atual é preciso voltar um pouco. Tem muita coisa nova e muita parecida. Desde que saímos da ditadura já nos reinventamos várias vezes e sempre que falamos do mercado de trabalho voltamos a escravidão e ao Estado Novo, com regimes totalitários”, diz.

José Eymard finalizou sua explanação citando uma frase do presidente Lula em relação ao movimento sindical: “É preciso descobrir uma nova razão da sua existência”.

E o segundo dia de Congresso foi encerrado com um debate sobre a defesa dos bancos públicos, com a participação da presidenta do Seeb-Bh e Coordenadora Estadual CEE Caixa, Eliana Brasil, do Diretor de Administração e Finanças da Fenae, Clotário Cardoso e de Wagner Nascimento, Coordenador Nacional do BB. “Temos que estar nas ruas todos os dias para defender que o banco público é essencial para as pessoas, para a agricultura familiar, para o crescimento dos Estados, a luta tem que ser constante, disse Eliana.

Wagner Nascimento reiterou que “quando defendemos a Caixa e o BB não estamos defendendo empregos, estamos defendendo o desenvolvimento do Brasil”.

Clotário Cardoso afirmou que da forma que está indo a Caixa não resiste mais. “Não podemos deixar esse patrimônio do povo brasileiro ir embora”. E o papel da Fenae (Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal) e das Apcefs (Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal) é vital nesse momento. É preciso estratégias de enfrentamento para lutar contra esse fatiamento da Caixa.

No vídeo ele fala sobre o enfrentamento: