Desde o ano passado, o Banco Mercantil do Brasil intensificou um processo de reestruturação que, na verdade, representa a demissão de funcionários e a transformação de agências em pontos de atendimento avançados (PAAs). Para um banco que tem como atuação principal o pagamento de benefícios de aposentadoria, isso significa obrigar os idosos a se deslocarem por maiores distâncias e esperarem mais tempo nas filas.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, com a assessoria da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Banco Mercantil do Brasil, dos sindicatos e federações da categoria bancária, especialmente da Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro de Minas Gerais (Fetrafi/MG) e do Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte, elaborou um boletim para mostrar aos clientes do banco que esta situação prejudica o atendimento e, consequentemente, eles são afetados.

O material está disponível em versão PDF na página de publicações do site da Contraf-CUT. A versão editável (em Corel) está na área restrita às entidades filiadas e todos os arquivos foram enviados por e-mail aos sindicatos e federações da categoria de todo o país.