A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) denuncia que a direção da Caixa está fazendo uma reestruturação usando de terror contra os empregados e para reduzir o banco, vendendo suas partes mais rentáveis.

Depois de os empregados fazerem as manifestações de interesse alguns foram realocados mantiveram a função e o local. Em algumas regiões foi mais fácil, pois os sindicatos fizeram redução dos danos e receberam as demandas dos empregados.

Porém, a direção do banco busca confundir os empregados que não foram selecionados. Dionísio Reis, coordenador da Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa lembra que a Contraf-CUT ganhou em primeira instância a ação que impediu a direção do banco de revogar os direitos dos empregados. “Os empregados ameaçados que têm mais de dez anos de função ininterrupta, atendendo o RH 151, ao ser descomissionado será incorporado administrativamente. Mas, se o empregado tiver menos de 10 anos, é mais interessante a manutenção de função, mesmo com o decesso, pois o empregado mantém a contagem do tempo e, quando completar 10 anos, segundo o RH 151, lhe dá direito a incorporação da gratificação da função”, disse. “Longe dos abusos e do cerceamento de direitos em algumas regiões e principalmente para algumas funções a Caixa tem garantido o direito do RH 151 por que para outras pessoas ela tem ameaçado e até mentido dizendo que não incorpora?”, finalizou Dionísio.

 

Fonte: Contraf-CUT