A infecção pelo novo coronavírus o vírus da Covid-19, gera medo pela incerteza que carrega em relação aos sintomas que vai provocar em cada um dos infectados. Em geral, a grande maioria das pessoas infectadas apresenta sinais leves da doença, que duram até duas semanas. Nos casos mais graves, os sintomas demoram até três semanas para passar. No entanto, um número crescente de pessoas apresentam sintomas persistentes da Covid-19.
A condição foi denominada de “Covid longa” por especialistas e é caracterizada por um leque de sintomas prolongados por semanas ou meses, incluindo falta de ar, fadiga, dor de cabeça e perda de olfato e paladar. Isso afeta não apenas quem teve a forma grave da doença, como também aqueles atingidos por sintomas leves. Ainda não existem respostas definitivas sobre esse fenômeno, já que muitas pesquisas ainda estão sendo realizadas.

 

Quais são os sintomas da Covid longa?

Dados coletados pelo Covid Symptom Study – aplicativo de pesquisa epidemiológica para a Covid-19 no qual milhões de pessoas nos Estados Unidos, Reino Unido e Suécia relataram seus sintomas – sugerem que 10% a 15% das pessoas não se recuperam rapidamente.
Em setembro de 2020, o sistema de saúde britânico publicou uma lista com os sintomas associados a Covid prolongada, retirados do aplicativo que que conta com mais de 4 milhões de usuários. Confira:
•    Sinais ou condições respiratórios como tosse persistente, falta de ar, inflamação do pulmão e fibrose pulmonar, e doença vascular pulmonar;
•    Doenças ou sinais cardiovasculares, como aperto no peito, miocardite aguda e insuficiência cardíaca;
•    Perda prolongada ou mudança no paladar e no olfato;
•    Problemas de saúde mental como depressão, ansiedade e dificuldades cognitivas;
•    Distúrbios inflamatórios como mialgia, síndrome inflamatória sistêmica, síndrome de Guillain-Barré e amiotrofia nevrálgica;
•    Distúrbios gastrointestinais como diarreia;
•    Dor de cabeça persistente;
•    Fadiga, fraqueza e insônia;
•    Disfunção renal ou hepática;
•    Distúrbios de coagulação e trombose;
•    Erupções na pele.
Fonte: Site Educa Mais Brasil