Os trabalhadores da Caixa Econômica Federal de todo o país vão realizar, a partir da próxima quarta-feira (23), atos semanais em defesa do banco 100% Público e por melhores condições de trabalho.

O objetivo destas manifestações é alertar a população sobre o processo de desmonte da empresa.

Durante negociação, ocorrida nesta terça-feira (15), representantes do banco anunciaram que 100 agências estão sendo reavaliadas e poderão ser fechadas ou fundidas com outras unidades, dependendo do seu desempenho, principalmente o financeiro.

“Nos posicionamos contrários ao fechamento de unidades e reforçamos que a Caixa é um banco que deve manter sua presença em todo o país, que isso faz parte de sua função social. Vamos alertar os brasileiros de que o banco público, responsável por cerca de 70% do crédito imobiliário e por programas sociais fundamentais para o país, está sendo desmontado por este governo”, destaca Dionísio Reis, coordenador da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa).

Os atos públicos, reuniões nos locais de trabalho, audiências públicas, entres outras iniciativas, foram orientações da CEE para chamar atenção da sociedade para a política do governo que visa o enxugamento da Caixa e a redução do seu papel social.

Os atos deverão ser realizados até a próxima negociação, para pressionar a Caixa a rever medidas que precarizam as condições de trabalho e o atendimento à população, como fechamento de agências, reestruturação, verticalização e a ampliação do programa Gestão de Desempenho de Pessoas (GDP).

Com informações da Fenae