Bancárias e bancários da base da Fetrafi-MG participam entre os dias 27 e 31 dos encontros estaduais dos bancos públicos e privados. Em função da pandemia da Covid-19 todas as atividades acontecem de forma virtual.

 

Diante de um cenário de retirada de direitos da classe trabalhadora e de agravamento das crises econômica e sanitária, os encontros irão debater estratégias de enfrentamento a questões específicas de cada banco como emprego, saúde, condições de trabalho nas agências e postos de atendimento, assédio moral e cobranças excessivas de metas.

 

A abertura do Encontro Estadual dos Bancos Privados acontece na próxima terça-feira (27), às 18hs. Na quarta-feira (28), das 13 às 17hs, serão realizados os encontros dos bancos Bradesco e Itaú. Na quinta-feira (29), das 13 às 17hs, o encontro é das bancárias e dos bancários do Santander e Mercantil do Brasil.

 

Na sexta-feira (30), a partir das 18hs, será realizada a Abertura do Encontro Estadual dos Bancos Públicos. As discussões em torno das pautas das trabalhadoras e dos trabalhadores dos Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal acontecem no sábado (31), das 9 às 17hs. As inscrições para os encontros devem ser feitas através dos sindicatos.

 

Os debates e resoluções dos encontros estaduais serão apresentados nos encontros nacionais por bancos que acontecem entre os dias 3 e 8 de agosto. Para a presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira, este é o momento de a categoria bancária se unir para se defender dos ataques e retrocessos de direitos.

 

“Todo o país luta hoje por empregos, para ter saúde, alimentação, uma vida digna. Com bancárias e bancários não é diferente. Para defender nossos direitos e nossas conquistas, precisamos nos organizar, nos unir. Esse é o caráter dos encontros dos bancos que estamos realizando no começo de agosto. Toda a população está sofrendo ataques seguidos desse governo. É hora de lutarmos, de nos defendermos. Vamos começar a organizar a categoria bancária nessa luta, para termos mais empregos, melhores salários, comida na mesa e saúde. Para termos um Brasil melhor”, declarou.

 

Da redação da Fetrafi-MG