A XIIIª Reunião Conjunta das Redes Sindicais de Bancos Internacionais, realizada em Assunção, no Paraguai, continua hoje (16) com as reuniões de: BBVA, Itaú, Santander, HSBC, Scotiabank e Banco do Brasil.

Magaly Fagundes, presidenta da Fetrafi-MG/CUT, está em Assunção e participa das reuniões.

O primeiro dia, nesta terça-feira (15), foi marcado por uma análise de conjuntura global e pela unanimidade dos expositores em afirmar que a saída para os trabalhadores passa pela unidade das entidades sindicais.

Foi apresentado o quadro geral de cada um dos bancos nos respectivos países onde estes atuam e suas políticas de relacionamento com os trabalhadores.

Victor Baez, secretário-geral da Confederação Sindical das Américas (CSA), fez uma abordagem da situação política e econômica da América e apresentou dados sobre o crescimento da desigualdade no Continente com o avanço do projeto neoliberal na América Latina após a derrocada dos governos militares na região.

Ângelo di Cristo, chefe do setor de Finanças da UNI Global Union, falou sobre o movimento sindical mundial no setor de Finanças e a luta destes sindicatos contra a grande concentração financeira que se encontra nas mãos de alguns poucos bancos multinacionais, que impõem pesado julgo aos governos de países em desenvolvimento e do Sul europeu.

Rita Berlofa, presidenta da UNI Finanças Global, apresentou o painel sobre o futuro do mundo do trabalho e os perigos que ameaçam os empregos e as condições de vida dos trabalhadores, quer pelas inovações tecnológicas que se apresentam de forma acelerada, quer pela imposição do grande capital sobre a diminuição ou mesmo eliminação de empregos para baratear a produção aumentando a produtividade.

Com informações da Contraf-CUT