Representantes dos trabalhadores querem a efetiva implantação da cláusula 58


Foto: Contraf-CUT

O Coletivo Nacional de Saúde do Trabalhador da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) se reúne daqui a pouco, às 15 horas, com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para dar continuidade às negociações sobre o Protocolo Para Prevenção de Conflitos no Ambiente de Trabalho, previsto na cláusula 58 da Convenção Coletiva de Trabalho dos bancários.

A reunião anterior, ocorrida em 21 de julho desse ano, terminou sem respostas concretas. A Fenaban disse que faria um levantamento das ações para ser apresentado hoje.

A presidenta da Fetrafi-MG/CUT, Magaly Fagundes, está em São Paulo para participar das negociações.

O objetivo é negociar o aprimoramento do instrumento, tornando-o mais efetivo para garantir ambientes de trabalho mais saudáveis, livres do assédio moral e dos acidentes de trabalho. Uma das reivindicações é a redução do prazo de apuração das denúncias, dos atuais 45 dias para 30 dias.

Para cumprir o propósito da cláusula 58 da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), ou seja, o estabelecimento de políticas de prevenção negociadas, os representantes dos trabalhadores propõem também a estratificação das denúncias que passam pelos canais internos dos bancos.

Fetrafi-MG com Contraf-CUT