A Caixa divulgou, na última sexta-feira (29), uma arrecadação recorde em toda a história das Loterias. O resultado de 2020 foi de R$ 17,1 bilhões – 2,35% maior do que em 2019, com 16,7 bilhões arrecadados. O valor do repasse para áreas sociais como saúde, educação, segurança e esportes também foi o maior da história – R$ 8,05 bilhões, 1,6% acima do repassado em 2019.

Para o presidente da Federação Nacional do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Sergio Takemoto, as loterias são partes estratégicas da Caixa e fundamentais para a redução da desigualdade regional e social no país.

“Além de premiar os apostadores, as loterias repassam 40% dos recursos arrecadados para o financiamento de políticas públicas em educação, saúde, esporte, cultura e outras áreas, reforçando o papel social da Caixa. Mas devemos lembrar que a Caixa Loterias já é uma subsidiária e está na lista de privatizações do Governo. Se for vendida, a empresa vai continuar repassando estes valores para essas áreas ou estes recursos vão para o lucro da empresa?”, questiona Takemoto. “A Fenae continua lutando para que nenhuma subsidiária do banco seja vendida. A caixa é 100% dos brasileiros”, ressaltou.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, anunciou que vai retomar as operações de mercado de capitais neste ano. “É um foco total da Caixa realizar os IPOs [abertura de capital], inclusive do banco digital”, disse em evento no dia 26 de janeiro. A Caixa Loterias também é uma área que Guimarães quer vender. Além das loterias e do banco digital, a Caixa Seguridade, Caixa Cartões e gestão de recursos (asset) estão na fila para listagem na bolsa de valores.

Prêmio

De acordo com a divulgação da Caixa, a Megasena continua a principal modalidade de vendas e foi responsável por R$ 6,9 bilhões em arrecadação – 40,4 % do total. Em seguida está a Lotofácil, responsável por R$ 5,2 bilhões e participação de 30,5% no portfólio de jogos da CAIXA. Em terceiro, com 17,4% de participação, segue a Quina, que arrecadou mais de R$ 3,0 bilhões”.

Veja como ficou a distribuição dos repasses sociais:

  • Ministério do Esporte: R$ 413.138
  • Clubes de futebol: R$ 63.942
  • Comitê Olímpico do Brasil: R$ 297.992
  • Comitê Paralímpico Brasileiro: R$ 162.672
  • Comitê Brasileiro de Clubes: R$ 82.763
  • Confederação Nacional dos Clubes: R$ 6.524
  • Secretarias Estaduais dos Esportes: R$ 165.526
  • Confederação Brasileira de Desporto Escolar: R$ 35.882
  • Confederação Brasileira do Desporto Universitário: R$ 17.941
  • Prêmios prescritos repassados ao Fies: R$ 311.957
  • Fundo Nacional da Cultura: R$ 484.862
  • Fundo Penitenciário Nacional: R$ 169.656
  • Fundo Nacional de Segurança Pública: R$ 1.533.601
  • Seguridade Social: R$ 2.895.383
  • Fundo Nacional da Saúde: R$ 4.662
  • Fundo Nacional de Apoio à Criança e Adolescente: R$ 1332
  • Concursos Especial Apae: R$ 773
  • Concursos Especial Cruz Vermelha Brasileira: R$ 961
  • Concursos Especial Fenapestalozzi: R$ 2.063
  • Imposto de renda sobre prêmios pagos: R$ 1.394.833
  • Total de repasses: R$ 8.046.463

Fonte: Fenae