Apesar do avanço significativo da imunização contra a Covid-19 por faixa etária em Uberaba, o Sindicato dos Bancários de Uberaba e Região denuncia exclusão da categoria no processo de vacinação por parte do Estado. De acordo com a entidade, o governador Romeu Zema desobedece a determinações federais ao não incluir os trabalhadores bancários nas destinações de doses aos municípios.

A contestação é baseada em dois informes técnicos, n.os 28 e 29, do Ministério da Saúde, que prevê, de maneira clara, a destinação de 20% do total de doses distribuídas para os bancários e trabalhadores dos Correios. Segundo o Sindicato, o Governo de Minas Gerais não cumpriu a normativa e ainda não contemplou o setor com as remessas enviadas às Superintendências Regionais.

Para o presidente do sindicato, Diego Bunazar, essa desobediência é proposital, a fim de evitar a mesma demanda por outros municípios da região. “Com os elementos que a gente tem, eu só posso interpretar a situação como uma ingerência política do Governo de Minas em relação à vacinação de Uberaba, para não criar demanda nos outros municípios”, declara.

Diego reforça que a confusão e a suspensão da vacinação colocam em risco a saúde dos funcionários, dos clientes e dos respectivos familiares. Na justificativa, ele lembra que as agências bancárias não possuem sistema de ventilação, por estratégia de segurança do local, e isso facilita a transmissão de doenças, como a Covid-19.

A reportagem do Jornal da Manhã questionou o governo do Estado sobre as denúncias do sindicato. Em nota, SES afirmou que: “A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) informa que apesar de ter sido incluído no inicio de julho como grupo prioritário pelo Ministério da Saúde, a SES ainda não recebeu as doses destinadas pelo MS, por meio do Programa Nacional de Imunizações, para a inclusão desse grupo na vacinação contra a covid-19”. Questionada, a Prefeitura de Uberaba informou que a vacinação do grupo continua por faixa etária, já que não há recebimento de doses específicas para os bancários e funcionários dos Correios.

 

Fonte: JM Online

Foto: Arquivo