A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) abriu hoje seu 1º Seminário Jurídico Nacional.

Representantes da Fetrafi-MG e Sindicatos filiados no Seminário Jurídico

O objetivo é organizar e fortalecer as assessorias jurídicas dos sindicatos de bancários, para um enfrentamento conjunto, que minimize os ataques aos direitos dos trabalhadores diante da nova legislação, que entra em vigor em novembro.

“A Reforma Trabalhista visa trazer enormes perdas e acabar com a organização dos trabalhadores no Brasil. Frente a esta dura realidade, debater e formular proposições jurídicas no Seminário Nacional da nossa Confederação é de fundamental importância para enfrentar os desafios impostos à classe trabalhadora pós Reforma Trabalhista”, afirma Ted Silvino Ferreira, Secretário de Assuntos Jurídicos da Fetrafi-MG.

Dentre os pontos debatidos sobre a Reforma Trabalhista estão: a flexibilização da jornada de trabalho, o banco de horas, o trabalho intermitente, o intervalo intrajornada, o descomissionamento, a representação no local de trabalho, dentre outros que afetam a forma do trabalho e a representação dos trabalhadores no país.

Esse enfrentamento e resistência contra a implementação da legislação trabalhista teve início durante a 19ª Conferência Nacional dos Bancários, entre 28 e 30 de julho, em São Paulo, quando foi elaborado um termo de compromisso pedindo que os bancos se comprometessem a rever pontos da nova lei que trouxessem prejuízo aos trabalhadores. Veja aqui o termo de compromisso – http://fetrafimg.org.br/bancarios-entregam-a-fenaban-proposta-que-garante-direitos-e-empregos.

Para Ted Silvino Ferreira, a participação de representantes da Secretaria Jurídica da Fetrafi-MG/CUT e dos sindicatos filiados de Ipatinga, Patos de Minas, Divinópolis, Juiz de Fora, Teófilo Otoni e de vários dirigentes sindicais é de fundamental importância para a organização e resistência dos sindicatos e trabalhadores.

As atividades do Seminário seguem até amanhã (29).