Em nota divulgada nesta quinta-feira (07), o Sindicato dos Bancários de Divinópolis e Região repudia publicamente declarações do recém empossado prefeito de Divinópolis, Gleidson Azevedo (PSC). Na última quarta-feira (6), o atual prefeito publicou um vídeo nas redes sociais tentando responsabilizar xs bancárixs, em especial xs empregadxs da Caixa Econômica Federal, pelas aglomerações que estão ocorrendo no centro da cidade.

 

A nota da entidade representativa lembra que, a exemplo dos profissionais de saúde e outros trabalhadorxs de serviços essenciais, a categoria bancária, especialmente xs empregadxs da Caixa, atuam de forma incansável riscos para atender a população, em especial os mais carentes, da melhor forma possível.

 

Segundo a presidenta da Fetrafi-MG, Magaly Fagundes, o Governo Federal “não demonstrou compromisso com o povo brasileiro e foi omisso e irresponsável no tratamento de medidas de prevenção à contaminação da Covid-19 em todo o território nacional, mesmo diante da maior crise sanitária do século. Tal afirmação pode ser verificada através das quase 200 mil vidas perdidas em pouco mais de nove meses de pandemia”.

 

“No caso específico da Caixa Econômica Federal, esta responsabilidade deve ser atribuída também ao Governo Federal, que vem reduzindo constantemente os postos de trabalho nesta imprescindível instituição e se recusa promover novos concursos públicos para suprir a falta de empregadxs”, diz o texto do sindicato.

 

O Sindicado dos Bancários de Divinópolis lembra ainda que, xs empregadxs da Caixa estão atuando sobrecarregados, com jornadas excessivas, trabalhando em finais de semana e feriados, abrindo mão da convivência com suas famílias e se colocando em risco para melhor atender a todxs, sendo assim, o mínimo que se pede para com estes trabalhadorxs”.

 

A nota da entidade cobra ainda uma retratação pública do prefeito Gleidson Azevedo (PSC) e o “reconhecimento ao trabalho árduo que estes verdadeirxs guerreirxs têm exercido em nome da população”.

 

Clique aqui para ler a íntegra da nota do Sindicato dos Bancários de Divinópolis e Região.

 

Da redação da Fetrafi-MG